Social icons

Lumea | update

10 maio 2018

Inauguramos, oficialmente, a época das pernas à mostra. Estarão lembrados da novidade que me chegou às mãos no início deste ano? Pois bem, hoje volto a falar da Philips Lumea e da minha experiência com ela. Em números redondos: uma máquina, quatro meses, seis sessões, (quase) zero pelos. Tudo o precisam de saber sobre o investimento de poder fazer luz pulsada em casa está aqui, no post de hoje...


Ora bem, não sei se estão bem a perceber o meu entusiasmo assim que deitei as mãos na encomenda. Contei-vos tudo por aqui e acho que a excitação e expectativa ficaram bem impressas no primeiro post. A introdução do novo modelo Lumea, da Philips, foi feita de forma simples e intuitiva — exactamente como a própria máquina o é — e mostrei-vos as várias funcionalidades e modo de utilização do aparelho. Prometi-vos também que vos ia mantendo a par do processo e hoje quero partilhar convosco os resultados obtidos, ao fim de quatro meses de utilização.


intuitivo & indolor

Estas seriam as duas características mestras que utilizaria para descrever a Philips Lumea. Na verdade já me tinha apercebido, com apenas uma utilização, de que seria bastante fácil manusear a máquina. Mostrei-vos, em traços gerais, a simplicidade do programa, o modo de uso e até mesmo o acompanhamento que seria suposto fazer com a utilização da app. Agora vou-vos falar um pouco em mais detalhe...

Comecei por tratar as áreas que me pareciam ou mais sensíveis ou mais imediatas. Falo-vos então do rosto, axilas e meia perna. Comecei os tratamentos a 2 de Janeiro e durante a fase inicial é-nos indicado que o espaçamento entre sessões seja de duas semanas. Os seguintes tratamentos foram feitos de uma forma (mais ou menos) disciplinada e tentando sempre cumprindo os timings. 


A utilização da Lumea em sintonia com a app disponibilizada pela marca é fundamental.

Isto porque na app podemos não só agendar e programar as sessões, como conseguimos também monitorizar os resultados, indicando a intensidade do tratamento e como nos sentimos durante e depois do mesmo. Além disso, os "lembretes" ajudam-nos a fazer tudo direitinho e potenciar os resultados.

Quatro meses e seis sessões depois, posso-vos garantir — e esta é a mais pura das verdades — que já não tenho praticamente pelos nenhuns nas axilas nem nas meias pernas. O rosto acaba por ser uma zona mais sensível e exposta às alterações hormonais, por isso não seria justo dizer que estou livre de pelos nessa zona. Agora, tanto a pele das axilas como a das pernas está sedosa, sem marcas (ou queimaduras) e já quase que sinto que não preciso de mais sessões.

Ainda assim, tenho mais duas até perfazer as 8 fases de tratamento e depois entro na fase de manutenção (supostamente a cada 6 semanas).



prós e contras

Como tudo na vida, é-nos possível assinalar os prós e contras de um determinado assunto. Neste caso a Lumea, sendo um aparelho de luz pulsada para ser utilizado em casa, com um sistema complexo e muito estudo por parte da marca, acaba por ser um investimento inicial grande. É diferente pagar as sessões avulso num centro de estética ou ter que disponibilizar quinhentos euros de uma vez. Mas, contas feitas e se pensarmos bem, gastaríamos muito mais do que isso (mais do dobro) se pagarmos para fazer a depilação a luz pulsada na rua. Tirando este aspecto, existe apenas um outro que se apresenta, para mim, como sendo um ponto menos positivo. O facto de sermos nós a fazer — e porque, nas pernas, às vezes não é muito fácil controlar as áreas por onde já passámos ou não — podemos não cobrir a zona toda e o tratamento acaba por não ser tão uniforme. Mas rapidamente se contrapõe com o facto de que temos a máquina em nossa posse e podemos sempre usá-la quando quisermos, onde quisermos e as vezes que quisermos. Por isso, sem drama! 


As vantagens são, a meu ver, muito maiores do que estes aspectos. O facto de não estarmos dependentes da agenda de um salão ou centro de estética, de podermos ser nós a fazer o tratamento em todas as zonas que quisermos, no conforto da nossa casa, a aproveitar para ver um episódio da nossa série favorita e saber que podemos controlar todo o processo é algo que, para mim, não tem preço.

Resta-me agora continuar com os tratamentos, aguardar para ver como corre o do rosto e iniciar (finalmente, que já o devia ter feito em janeiro) a depilação nas outras zonas, nomeadamente a linha do bikini.



Em breve trarei mais updates e se tiverem alguma dúvida — qualquer uma que seja — não deixem de a colocar aqui nos comentários ou por mensagem privada no instagram. Estou aqui para ajudar no que puder!

1 comentário