Social icons

NOS ALIVE'16

13 julho 2016

Dez anos de Alive. Foi a comemoração do décimo aniversário do Alive, condensada em três dias muito intensos, mas muito felizes. Foram três dias repletos de música, animação, boa companhia, muita alegria (e Casal Garcia!). Este NOS Alive foi cenário de estreias e surpresas boas, foi palco de celebração, que ouviu os nossos aplausos à vida, à amizade, que nos viu brindar a todas as coisas gostosas, que nos deixam de sorriso largo. Hoje partilhamos os highlights do festival, num registo muito especial. 




De há uns anos para cá, temos ido a todas as edições do festival. Pela proximidade de casa e facilidade nos acessos, pela localização maravilhosa junto ao rio e pela energia boa que por lá se vive, o Alive tem um lugar muito especial no departamento de Festivais de Verão. Este ano foi ainda mais especial; celebrámos os 10 anos do evento, trabalhámos de perto com uma equipa super divertida e vimos a primeira grande actuação de Vizinhos do Lado, a banda vencedora do Concurso Oeiras Band Sessions, que é uma das nossas bandas do coração.



Podem espreitar os últimos relatos do NOS Alive, partilhados pelo blog aqui e ali, para verem como foram as edições anteriores. Este ano, outra das surpresas que muito me entusiasmou foi a Rua EDP, colocada junto à entrada do recinto. Uma rua portuguesa, com toda a certeza, muito bem implementada e com detalhes lindos.



Rua EDP

Com alguns dos elementos mais típicos das ruas lisboetas, como as fontes, a calçada portuguesa ou as fachadas ornamentadas com bonitos azulejos, a organização conseguiu incorporar vários espaços giríssimos para entreter e animar os festivaleiros que por lá passaram. Não houve dia que não passasse por lá; havia sempre qualquer coisa para descobrir. Por exemplo, tínhamos o espaço CTT, da NOS, uma exposição no "mini" Museu da Electricidade, o EDP Fado Café, com vários concertos ao longo do evento e ainda uma loja Stylista. How cool is that?




Haja alegria...

...Haja Casal Garcia! É inevitável e nem adianta negarem: todos nós sabemos a música que nos acompanha já há vários anos, sobretudo nos festivais, da campanha Casal Garcia. É catchy, fica no ouvido e é o elogio perfeito a estes dias de verão, passados entre amigos, com um copo de vinho na mão.




Durante os três dias de festival pudemos acompanhar a equipa Casal Garcia no Alive e posso dizer-vos, em jura solene, que nunca vi grupo tão divertido, tão bem-disposto e com tanta energia. Nunca! Eles corriam, eles sorriam. Eles saltavam, eles brincavam. Eles iam para um lado e voavam para o outro. Não havia calor que os impedisse de encher o recinto com a sua incrível boa onda. Eles animaram as nossas tarde, os momentos entre concertos e eles deviam, sem dúvida, ter um palco próprio para o ano. Eu estaria lá, na primeira fila.


Como quase que aposto que ainda têm a musiquinha a entoar na cabeça [haja alegria, hajaaaaaaaaaaa....Casal Garcia!] aproveito para vos falar das novidades — que foram, no fundo, um verdadeiro salva-vidas nas tardes em que o calor quase que nos fazia sentir a derreter. Estamos a falar daquelas tardes em que o Sol das três da tarde fazia os termómetros marcar 34º (que mais pareciam 54º) e tudo o que apetecia era uma bebida refrescante.




Casal Garcia Sangria

Sim, é isso. Sangria com a assinatura Casal Garcia, servida com gelo. Doce no ponto e bem fresca, esta foi a novidade que melhor nos soube descobrir por lá. Brindámos várias vezes com esta que foi a nossa bebida de eleição e quando nos pareciam faltar motivos para brindar...arranjávamos mais um. Ou dois, ou três. Estavam uns dias tão bonitos, estávamos rodeados de bons amigos e a música era tão boa que só tínhamos motivos para celebrar e brindar!


Vizinhos do Lado


No Palco Clubbing. Estarão de certo lembrados de vos falar no concurso de bandas, realizado nos Nirvana Studios (partilhei por aqui), certo? Pois bem, no dia 8 — segundo dia do festival — tivemos o privilégio de ver a actuação ao vivo de Vizinhos do Lado, a banda vencedora. O melhor de tudo? São os amigos do Miguel — e meus, do coração — e deram um concertão como nunca vi!







A energia deles, a presença em palco, a vibe da banda, com um espírito tão único, tão livre, tão honesto, que trespassava as barreiras do palco e chegava até aos amigos, cá em baixo, que vibravam a cada acorde [...] as primeiras vezes nunca são fáceis, mas as primeiras experiências são para sempre. E eu tenho a certeza que este concerto foi o "pontapé-de-saída" destes que podem vir a ser os Vizinhos do Lado de muita gente. Vejam a página deles e deixem um gosto — garanto que valerá a pena conhecer este projecto!



Não podia não referir outras duas novidades (gastronómicas, como não podia deixar de ser — são sempre as mais gostosas) que descobrimos por lá. Este ano o Alive contou com a presença de uma van do Bolo da Marta — conseguem imaginar, por isso, o nosso deleite não? — e ainda encontrámos neste Benareli um dos melhores gelados de morango que alguma vez provámos. Tudo servia de desculpa para tornar os nossos dias de calor mais doces.





Para além de tudo mais, para mim, uma das melhores coisas do NOS Alive é ver o cair da tarde. O sol põe-se de forma graciosa, quase estratégica, por trás do Palco NOS. O céu ganha umas cores únicas, o ambiente fica incrível. As pessoas sentam-se, conversam, jogam às cartas e brindam a mais um serão entre amigos.

uma pequena nota

Apesar de tudo aquilo que já ouvi e li por aí, eu adorei esta 10º Edição e não me senti retratada em nenhum dos casos menos positivos que já vi serem mencionados. Não me senti insegura, não tive problemas na restauração e compreendo perfeitamente o percurso que tivemos que fazer quando saímos do festival (gente, era impossível escoar milhares e milhares de pessoas por um túnel minúsculo e atravessar a linha de comboio não me parecia boa ideia). É verdade que reconheço que há aspectos a melhores em ocasiões futuras, mas consegui aproveitar cada momento do festival.




Se tivesse que destacar os meus concertos predilectos dos três dias — para além do de Vizinhos do Lado, obviamente — teria que falar do show de Two Door Cinema Club, o Band of Horses e o monumental concerto de Arcade Fire. Foram três experiências inéditas, para mim, todas diferentes e singulares, mas todas inesquecíveis.




Este ano acabei mesmo por conseguir reunir algumas imagens em video que acabei por compilar num pequeno projecto — nada profissional — que me deu imenso gosto e que, confesso, adorei ver realizado. É assim uma espécie de best of do NOS Alive'16.




Espero que tenham gostado da partilha — que já deveria ter sido publicada ontem — e convido-vos a espreitarem o meu primeiro festival deste ano, o Sumol Summer Fest. Agora partilhem comigo: gostaram do video? Foram ao Alive? Qual foi o ponto alto para vocês?

2 comentários

  1. Adorei o vídeo - e o relato - Sara! Quando for grande quero ser como tu ♥

    ResponderEliminar
  2. O vídeo, para mim, é nota 10 -como diriam os nossos irmãos brasileiros! 😊 quero mais vídeos assim, pode ser? Pode, pode? 😄

    ResponderEliminar