Social icons

FLORES GUEST HOUSE

27 julho 2016

No Príncipe Real. Na Travessa da Piedade, junto à bonita Praça das Flores, há uma guest house charmosa, acolhedora e simpática que nos recebe de braços abertos, sorriso sincero e nos faz sentir, literalmente, em casa. É a opção perfeita para quem quer visitar a cidade e gosta de se sentir parte dela. Por isso, se ficaram curiosos, espreitem o resto do artigo.


lisboeta por um dia...

Numa das zonas, para mim, mais bonitas de Lisboa, encontramos a Flores Guest House que nos oferece a melhor experiência de todas: ser lisboeta durante a nossa estadia. Acordar no Príncipe Real, tomar um pequeno-almoço tradicional, calcorrear as ruas de lés a lés e sentir toda a atmosfera que nos rodeia é assim algo de mágico. No fundo, aqui, podemos viver como um verdadeiro lisboeta.





Todo o conceito é delicioso e nós já andávamos a namorar uma noite nesta guest house há algum tempo. Mas aqui em verdade vos digo: nunca pensei que a experiência fosse tão intensa, no melhor dos sentidos. A recepção faz-se num lado da rua e no momento da nossa chegada apontam numa ardósia o que vamos desejar tomar no pequeno-almoço do dia seguinte. Dizem-nos que este será entregue à porta, num cestinho. Haverá coisa mais gira? Fomos depois acompanhados àquela que seria a nossa casa durante aquela noite.


Rés-do-chão de coração

E foi aqui que o meu fascínio se intensificou. Fomos encaminhados para um dos apartamentos disponíveis, que fica no piso térreo do pequeno prédio da Travessa da Piedade. E não há nada como experimentar dormir no rés-do-chão no coração da cidade. É sentir a vida a acontecer do outro lado da porta, ouvir o português a ser falado entre janelas, os "bons-dias" gritado aos quatro cantos, os turistas que admiram a cidade...



A decoração foi pensada ao pormenor e com cuidado. A paleta de cores combina na perfeição com o cenário e todas as peças são bonitas e ligam-se na perfeição com o ambiente criado. Além disso, a luz que entra na sala principal é incrível; faz-nos mesmo sentir em casa. Rapidamente pousámos as malas e fomos explorar este novo-pequeno-mundo, que cabe num rés-do-chão junto à Praça das Flores.




O apartamento é composto pela sala e cozinha, que é moderna e muito bem equipada, logo à entrada. Depois temos então o quarto e a casa-de-banho, também providos de todos os básicos essenciais, muito confortáveis e apetrechados com alguns miminhos que tornam a estadia ainda mais especial.



Tons neutros fundem-se com vários azuis, numa dança harmoniosa de padrões e texturas. O quarto era espaçoso e super confortável. Apesar de estarmos em plena cidade e numa zona movimentada (não a Travessa da Piedade, propriamente, mas mais a zona do Príncipe Real) não ouvimos nenhum barulho do exterior e sentimo-nos muito aconchegados ali.



Os pequenos detalhes encheram-me o olho e a vontade de os registar falou mais alto. Eu estava tão contente por ser turista na minha cidade que me deixei levar pelo êxtase de querer partilhar tudo e mais alguma coisa.




Mas, no fundo, tudo aquilo que precisam de saber é que, tanto os apartamentos como os quartos são completamente equipados e permitem-vos fazer uma estadia confortável, no centro de Lisboa, mais alongada e ainda conseguem preparar as vossas refeições, o que é um plus.




Pequeno-almoço!

De manhã, à hora combinada na noite anterior, ouvimos bater à porta. É a entrega do nosso cestinho de pequeno-almoço — e é amoroso. Vem composto por várias coisas boas e é a melhor forma de se começar um dia na cidade.



Sumo de laranja natural, leite fresco, pão, manteiga, queijo e fiambre e ainda nos trazem uma surpresa. No nosso caso vieram dois pastéis de nata quentinhos e estaladiços, exactamente como desejaríamos que fossem. No apartamento já temos café e chá, pelo que nos podemos servir à vontade. É mesmo a melhor forma de dizer "bom-dia".






Foi apenas uma noite, mas foi óptima a experiência. Já conhecemos o Príncipe Real de trás para a frente e de frente para trás...mas há sempre tanta coisa nova por explorar! Nós fomos passear a pé — que ali o melhor mesmo é andar a pé — e andámos a calcorrear pelas ruas e ruelas vizinhas. O chegar a casa, à noite, depois de jantar, e entrar num rés-do-chão ali é giríssimo. Não sei se vivia em Lisboa, mas vivia ali. De boa vontade!


A Flores Guest House é então uma boa opção para quem quer fazer uma escapadinha especial ou conhecer a capital, vivendo como um verdadeiro lisboeta. O melhor mesmo é irem de transportes (nós levámos carro). Estacionar ali é complicado porque, para além de se pagar em todo o lado, as ruas são quase todas exclusivas para residentes. Por isso aproveitem para deixar o carro em casa e vivam (a pé) aquela Lisboa que é tão bonita, tão nossa.

4 comentários