Social icons

ECORKHOTEL

06 julho 2016

Évora Suites & Spa. Foi uma ocasião especial e eu falei-vos dela aqui. A surpresa já estava há muito pensada e eu só precisava de encontrar um refúgio que estivesse à altura. É aqui — assim — que descobri o Ecorkhotel, em Évora. É o refúgio perfeito para uma escapadinha a dois e a melhor experiência que podia ter encontrado para celebrar um dia muito especial. Hoje, neste artigo, partilho o porquê; eu tenho a certeza que se vão apaixonar.


Comemorávamos o 25º aniversário dele. A minha prenda estava já pensada há muito tempo. Desde o momento em que o conheci que sabia o que lhe iria oferecer nos vinte e cinco anos. Tinha que ser memorável. Afinal, um quarto de século deve ser comemorado em grande e em bom. Por isso fui em frente com a minha ideia. Agora só precisava de um sítio bonito, especial — como nós gostamos — para ficarmos uns dias. Seriam umas mini-férias e, até então, era tudo o que ele sabia. Íamos para Évora.



Ao mesmo tempo que adquiri a minha surpresa no site das Odisseias, encontrei também esta experiência que me pareceu absolutamente incrível. Primeiro que tudo — e o mais importante — porque me levou a conhecer aquele que viria a ser o meu refúgio preferido no Alentejo. É um verdadeiro oásis.





Ecorkhotel Évora Suites & Spa

Este foi o hotel que nos recebeu durante os dois dias da nossa estadia em Évora. E recebeu-nos tão bem que nos sentimos em casa — temos a certeza que fizemos a escolha perfeita para comemorar tão solene ocasião. Fica a uma hora e vinte de Lisboa mas, ao mesmo tempo, parece que fica num outro planeta, de tão bonito que é.


Assim que o vi no site das Odisseias nem hesitei. Apaixonei-me pelas fotografias bonitas que estavam partilhadas por lá e foi uma decisão quase imediata; se teria que celebrar uma data especial em Évora, seria aqui, no Ecorkhotel Suites & Spa

Chegamos ao hotel depois de almoço e dirigimo-nos à recepção onde fomos logo muitíssimo bem atendidos. Ofereceram-nos uma bebida fresca, para atenuar os 37º que se faziam sentir lá fora e de seguida indicaram-nos o número da suite, bem como todas as informações básicas.




Envolto num ambiente único, de horizonte plano, rodeado vegetação típica — folhagens secas, tons dourados, flores do campo — sobre um céu de azul imenso, o conceito do hotel não poderia ir mais ao encontro da sua envolvente. Linhas geométricas, jogos de luz e sombra, muito branco e formas minimalistas rasgam a paisagem de forma tão bem pensada que quase que se tornam parte dela.





resort está dividido em duas grandes zonas principais: o bloco da recepção, que concentra todas as áreas comuns, como recepção, bar, restaurante, pátio, piscina interior, exterior e spa, e a zona das suites, instalada um pouco mais à frente no terreno. São pequenas moradias que se estendem ao longo da planície, criando um movimento sistemático de formas simples, mas bonitas, que irradiam todo o sol e destacam as várias oliveiras plantadas ao longo do percurso.




Ali, naquela que foi a nossa casa durante duas noites, apenas se ouvia o elogio do silêncio. Silêncio este que era composto pelo vento a bater nas folhas das árvores, pela vegetação que dançava contra a parede, pelos pássaros que madrugavam na manhã ou pelos grilos que cantavam às estrelas. Este é o meu tipo de silêncio — e era tudo aquilo que precisávamos de ouvir. Não há nada melhor para desanuviar e limpar a cabeça do que dois dias assim, aqui, neste doce silêncio. 




As suites estão muito bem equipadas e prontas para nos providenciar uma estadia de luxo. A decoração não podia ser mais a minha cara: muito simples, tons neutros, sem grandes artifícios. Uma sala ampla, equipada com mini-bar, uma casa-e-banho primorosa (com tudo aquilo que se espera de um espaço destes) e uma combinação improvável da arquitectura moderna com os elementos tão típicos do Alentejo (como o chão de tijoleira ou as mantas e tapetes da zona), tornavam o ambiente ainda mais bonito.


A janela grande do quarto, voltada para o pequeno pátio privado, fez as nossas delícias. Não havia "quadro" mais bonito nem vista melhor para nos receber o "bom-dia". Ainda aproveitámos muito aquelas cadeiras de encosto lá fora. As estrelas viam-se com uma nitidez tão incrível que era impossível ir dormir sem admirar o céu do Alentejo naquelas noites quentes de verão.


Na primeira noite resolvemos marcar mesa no Restaurante do Hotel. Já tínhamos ouvido maravilhas sobre o Cardo e então arriscámos em experimentar. Confesso que nunca fui muito entusiasta de restaurantes de hotel mas nada nos soube tão bem quanto estar a jantar em casa, sem preocupações com horas, com o regresso, com o carro.




Cardo Restaurante

Queríamos aproveitar o fim da tarde — e todas as suas cores maravilhosas — e por isso marcamos mesa cedo. Apesar de a fotografia em cima não fazer justiça, o pôr-do-sol atrás da planície estava um espectáculo memorável e a sala de refeições não podia estar melhor planeada para se apreciar a paisagem: uma parede envidraçada dava-nos o privilégio de iniciar a nossa refeição com lugar privilegiado.



Assim que vimos a carta não sobraram dúvidas, ou não fossemos nós pessoas de paixões vincadas. Para começar, dividimos uns ovos mexidos com espargos e cogumelos. Estava "só" soberbo mas — lá está — somos os dois grandes entusiastas de espargos e cogumelos. Uma coisa era indiscutível: os temperos estavam todos no ponto. Uma delícia!


 

Continuámos a refeição com dois pratos principais. Peito de pato braseado, com esparregado, nêsperas e puré de cherovia, para mim, e lombinho de borrego com risotto, para ele. Ambos estavam deliciosos, saborosos e muito apetitosos. Na dose certa, permitiu que sobrasse um espacinho para o gran finale.


  

Tinha sido lançada a nova carta de verão e por isso já fomos privilegiados com as propostas mais frescas para terminar a refeição. Acabei por pedir uma novidade de frutos vermelhos com sorbet de Möet & Chandon — estava sublime (e mais adjectivos existissem) — e ele optou pela sobremesa com suspiros de marcaujá e sorbet de caramelo (creio). Foi o encerrar de um serão com chave de ouro. E foi um complemento perfeito desta prenda de anos.




Há muito que não tínhamos uma noite tão tranquila como esta. Há qualquer coisa de muito especial no Alentejo. A sua calma, os seus tons, os seus sons...É tudo perfeito para descansar. Arranjámo-nos e seguimos sem demora para a minha refeição preferida do dia: o pequeno-almoço.





Pequeno-almoço

Um dos melhores pequenos-almoços de hotel que já alguma vez tive a oportunidade de experimentar. Servido na mesma sala do jantar da noite anterior, a grande janela revelava agora um amanhecer tranquilo, quente, bonito, que pintava o espaço com outros tons.








Foi, em dúvida, um dos pequenos-almoços mais ricos e deliciosas de sempre. Vários pães, croissants, bolos caseiros, torradas, cereais, fruta fresca tropical, iogurte, sumos naturais e muitos Compais, carnes frias, bacon, ovos de todas as maneiras, queijos (todos tão bons!), leite, chá, café ou chocolate. No fundo, o difícil mesmo foi escolher o que comer, para começar o dia.




Bar & Terraço

Depois de um pequeno-almoço homérico, resolvemos que merecíamos um dia de dolce fare niente. Não íamos ser turistas. Não queríamos andar a calcorrear a cidade, nem andar num compasso de pressa, para ver tudo, conhecer tudo. Não. Nesse dia queríamos aproveitar um dos ex-libris deste Ecorkhotel, que é o terraço e a piscina exterior. 




Fica no edifício principal, por cima da recepção e tem uma vista privilegiada sobre o montado alentejano. Dentro do mesmo registo que as restantes áreas comuns, também o bar e o terraço prima pela simplicidade do traço e decoração. Muito branco, materiais naturais, madeiras, vergas, vasos de barro, flores coloridas e uma vista-de-perder-de-vista. O bar serve das 11h às 20h e podemos encontrar por lá snacks e refeições ligeiras (acabámos mesmo por almoçar uma tosta nesse dia), sumos naturais e bebidas várias, cocktails, sangria, enfim [...] só coisas boas.



Piscina sem fim

E se já estávamos encantados com todas as outras áreas do hotel, só conseguimos ficar (ainda) mais rendidos a esta piscina. Uma piscina sem fim, que se fundia com a linha do horizonte. Um encontro perfeito entre céu e água. Fez-nos as delícias e não precisámos de mais nada.




Sol, calor, uma piscina infinita e uma bebida gelada — era tudo o que podíamos pedir para estes dias de merecido descanso de verão. A par com o pequeno-almoço maravilhoso, a piscina exterior do Ecorkhotel é, sem dúvida, um dos pontos altos da estadia. Não é muito funda nem muito grande, mas é perfeita para atenuar os trinta e seis graus que se faziam sentir lá fora.






Além do mais, por ter tantas zonas de repouso à sobra, com almofadas coloridas e vários colchões ou espreguiçadeiras, é perfeito para uma dia bem passado, especialmente em família; vimos por lá muitas famílias com crianças, umas mais pequenas, outras mais crescidas, mas todas elas muito divertidas. E os pais ficam ali, a descansar e aproveitar qualquer minuto de sossego enquanto os pequenos se divertem na piscina.




Não estava nos meus planos — tanto que nem levei tripé nem nada parecido (e eu, com a minha faltinha de jeito, preciso de todo e qualquer artifício para melhorar a coisa) — mas acabei mesmo por fazer algumas filmagens breves que me deram muito gosto em compilar para vocês verem, um pouquinho melhor, como era o ambiente do Ecorkhotel. Bem sei que o video não está, de todo, bem feito mas acho que é uma área onde vou apostar. Se souberem de algum curso jeitoso, não hesitem em deixar nos comentários. A gerência agradece!


O que fazer em Évora?

Para terminar esta publicação, não podíamos deixar de partilhar convosco algumas coisas boas que não devem deixar de fazer por aqueles lados. Antes de mais, tenho que vos falar do restaurante que nos recebeu na segunda noite da estadia: o Moinho do Cu Torto. O nome é "só" lindo e a comida é "só" maravilhosa. Tudo muito bem confeccionado, caseiro, muito português. Além do mais, podem mesmo visitar o moinho, onde se faz o pão ao domingo, e ver todo o processo (desde o moer o trigo até ao amassar a massa).


Ainda não foi desta que me aventurei, mas como foi a minha prenda dos 25 anos dele — e ele amou de paixão — achei por bem referir que podem visitar o aeródromo de Évora e marcar o vosso salto na Skydive Portugal. Dizem que é uma experiência única e nós tivemos muita sorte (que naquela semana a NATO estava a dominar os céus de Portugal) e os instrutores (uns amores) conseguiram-nos encaixar, com muita boa vontade, um salto às 7h30 da manhã! Valeu por tudo; pela cara dele, pela convivência, pela experiência. Vejam aqui onde adquiri a minha experiência.


Alentejo é terra de calmaria, de planícies, de oliveiras. É também, por isso, o sítio ideal para fazer um piquenique especial. Aproveitem e preparem algumas coisas boas para o vosso almoço de chegada a Évora e sentem-se a apreciar o delicioso convívio com a natureza, debaixo de uma sombra agradável. O nosso teve direito a muitas coisas boas: panadinhos de frango, sandes caseiras, salada de tomate cherry e manjericão, cerejas, meloa, bonbons para a sobremesa e Compal de Cereja.


E depois, claro, como ir a Évora e não conhecer Évora? O centro histórico da cidade é lindíssimo e rico em cultura e História. São vários os pontos de interesse; destacamos as Muralhas da cidade, os claustros da Sé, a Capela dos Ossos, o Templo de Diana, a Praça do Giraldo e a Universidade de Évora, que nos parecem aqueles com maior interesse para uma primeira visita à cidade.




Embora extenso, temos esperança de que tenham gostado desta partilha. Afinal, as coisas boas merecem mesmo ser partilhas e por isso, se têm alguma ocasião especial ou gostariam de oferecer uma memória única, uma estadia no Ecorkhotel Suites & Spa, em Évora, é a aposta segura mais deliciosa de todas.

4 comentários

  1. Fiz um trabalho sobre esse hotel ainda este semestre :)

    ResponderEliminar
  2. adorei, imensos detalhes! Amo o Alentejo e vou sempre passar férias para lá mas ainda não fiquei no ecork. Depois deste post tenho mesmo que passar por lá 😊 Muitos parabéns pelas fotos ;)

    ResponderEliminar
  3. Que lindo! Um hotel a conhecer ;)

    ResponderEliminar
  4. Temos realmente muita curiosidade em relação a este hotel.

    ResponderEliminar