Social icons

¡HOLA MADRID! #3

28 maio 2016

O Toma Café, um almoço no Frida, um terraço a conhecer e a Taberna Del Chato. Este terceiro dia em Madrid foi capaz de ser um dos meus favoritos — para não dizer mesmo o favorito! Foi um dia especialmente delicioso porque foi pautado por descobertas gastronómicas maravilhosas e lojas giríssimas. São sugestões imperdíveis se gostavam de ir a Madrid!





O nosso dia começou cedo, como costuma ser hábito em viagem. Somos sequiosos de conhecer tudo, ir a todo o lado e por isso o dormir fica para depois. Desta vez partimos rumo a Calle de la Palma e por querer rentabilizar o tempo, acabámos mesmo por nos aventurar no Metro. Da estação de Atocha até à estação Tribunal foi apenas necessário apanhar a linha azul e o preço do bilhete ronda o euro e meio. 




Toma Café

Cinco paragens e menos de dez minutos volvidos, estávamos à porta do Toma Café. Tínhamos ouvido dizer que ali se bebia um dos melhores cafés na cidade e nós estávamos desejosos de experimentar um bom café em Madrid. Pedimos um cappuccino, um expresso, uma cookie e um brownie. Na verdade apetecia-me uma sandes com manteiga mas no Toma Café a oferta é um pouco mais especial...




...E é deliciosa! O café é mesmo uma maravilha e o cappuccino foi um dos melhores que já provei. O ambiente é muito dentro do género daquilo que gosto. Um aspecto tosco, com elementos vários e uma linguagem muito própria e um atendimento gentil. O Toma Café é paragem obrigatória para quem gosta de café — e está em Madrid.



La On Pottery

Como não tínhamos nenhuma agenda cultural planeada para este terceiro dia, resolvemos seguir as sugestões da minha lista. Uma das lojas que tinha muito gosto em conhecer era este pequeno atelier de cerâmica, o La On Pottery. Conheci-o através do instagram do Cup Of Couple e adorei o ambiente e conceito.





Na minha licenciatura tive cerâmica e aprendi a trabalhar com barro, moldes e rodas de oleiro. É uma paixão que permanece até aos dias de hoje (estarão recordados da minha felicidade no workshop com a Anna Westerlund?) e por isso fazia todo o sentido conhecer este atelier que faz coisas lindas e tem uma equipa fantástica. Adorei conhecer quem por lá trabalhava e foi complicado controlar a tentação de querer trazer tudo...





Nesse sábado, terceiro dia de viagem, tivemos que estacionar o carro no parque de rua pelo que tivemos que retornar a Atocha para garantir que estaria tudo bem com os parquímetros. Numa outra publicação falaremos dos prós e contras de ir de carro a Madrid.




O nosso roteiro gastronómico levou-nos novamente até Malasaña; novamente pois o Toma Café também ficava situado neste bairro de Madrid, conhecido como o bairro mais hispter da cidade mas também, para mim, o mais bonito.


Frida Gastro Bar

Este estava mesmo na minha to-go-list. Já tinha andado a namorar fotografias do espaço e as expectativas estavam altas. E não saíram decepcionadas. Estão lembrados de vos falar aqui da pergunta que mais iríamos ouvir?
Tienes una reserva?
Pois bem, não tínhamos. Apesar do espaço estar completamente cheio (de clientes e de reservas), conseguimos ficar com a última mesa na esplanada. E ainda bem!






Pensámos bem no nosso pedido e arriscámos pedir uma sandwich de roast beef y salsa tártara, um spring roll de pato, foie y verduritas salteadas e os tacos de pastor, com solomillo de cerdo, marinado en chile chipotle, puré de mango y cilantro. Confesso que para mim, aqueles spring rolls de pato estavam do além e eram do mais divinal que existe. Para acompanhar, ele pediu uma cerveza e eu fui na limonada da casa, que era óptima!






Apesar de não ter conseguido fotografar bem o espaço interior — com muita pena minha, porque era lindo, lindo, lindo — adorei conhecer este Frida Gastro Bar e será, sem dúvida, uma paragem segura na próxima visita a Madrid. Acho que nunca tínhamos sido tão mimados na viagem e o serviço era de excelência, sendo que todos os funcionários nos deixavam sempre com um sorriso sincero no rosto. Adorámos!


Depois de almoço resolvemos ir passear pelas redondezas e explorar um pouquinho o bairro. Acabámos por tropeçar na Do Design e foi imediato: tive que entrar!




Do Design

Foi a minha loja de eleição (e de perdição) e foi um verdadeiro atentado à carteira. Apetecia-me trazer tudo e mais alguma coisa e se houve espaço onde me senti em casa foi aqui. Uma loja ampla e arejada, muitíssimo bem decorada, com uma dupla de meninas a atender que era uma simpatia.



Desde os artigos mais básicos e utilitários, a objectos de decoração e de maior dimensão, tudo ali era bonito. Por lá encontramos vários ícones de design de produto e editorial, como é o caso da Kinfolk e da Cereal. Várias marcas e artigos de estacionário, vários acessórios para a casa...quis trazer tudo, mas o Miguel resgatou-me a tempo e continuámos passeio.










Mercado de San Antón

Já sabia que ia gostar de calcorrear todos os mercados da cidade e por isso não foi de estranhar quando entrei sem hesitar neste. Fica muito perto do restaurante Frida e da Do Design, ali em Malasaña e foi um dos meus mercados preferidos. Talvez por não estar tão cheio como o de San Miguel (sobre o qual falaremos num outro post), neste mercado conseguíamos passear calmamente e apreciar os produtos e as originalidades do espaço.



A tarde já ia longe e começávamos agora a dar as boas-vindas a uma noite que se avizinhava animada. Deviam ser umas 19h30 e resolvemos experimentar um dos rooftops que tinha na lista. A verdade é que já havíamos tentado ir ao Círculo de Bellas Artes, que tem uma esplanada muito agradável — assim ouvi dizer — mas como nos cobraram à entrada 4€ e nós nem sabíamos se compensava ou não, resolvemos seguir até à Plaza de Vázquez de Mella.




Terraza Hotel Oscar

Este rooftop era tido com um dos melhores para apreciar um final de tarde na cidade. Se calhar não tanto pela vista — ainda que nos permita contemplar a cidade num ângulo de quase 360º — mas sobretudo pelos famosos cocktails. E de facto foi o pontapé-de-saída perfeito para um serão a dois. Animados (e apaixonados) pedimos uma cerveza espanhola e para mim veio um cocktail de gin — que só vos posso dizer que era (forte mas) óptimo!




Apesar de estar o céu estar encoberto, pareceu-me o final de tarde mais bonito de sempre. O apetite estava agora aguçado e fomos ao encontro da nossa última paragem desse terceiro dia, para jantar.



Taberna del Chato

Este é um espaço que surge com bastante frequência na pesquisa de sítios bonitos para jantar tapas. É uma (re)interpretação das tapas de outrora com o charme de agora. 

Fica situado na Calle de La Cruz, numa rua muito engraçada cheia de barezinhos e restaurantes, repleta de animação e movimento.



Para começar, atraiu-me o logótipo do espaço e toda a comunicação que eles fazem. Depois cativaram-me as boas críticas e recomendações e no final de contas só vos posso dizer que foi uma das refeições que mais gostámos de fazer. Estava tudo delicioso! Começámos por pedir uma cerveza artesanal e um mojito (eu já ia no balanço dos cocktails, pois claro!).




Fomos numa de petiscar e por isso começámos por experimentar alguns "chatos" da casa. Um paté de perdiz (di-vi-nal!) com tostinhas, um nidos de langostino e uma ensalada de perdiz escabechada, seguido de um pollo crujiente e um secreto ibérico. Entre chatos da casa, chatos especiales e chatos gourmet, gostámos de todos sem excepção!




Para terminar pedimos ainda uns huevos fritos com jamón e um pulpo a la brasa. Os ovos estavam uma delícia mas confesso que o meu apetite se prendeu no polvo, de tão saboroso e tenrinho que era! É raro comer polvo — apesar de gostar muito — e este estava no ponto, em todos os aspectos.



Adorei a Taberna del Chato e este será, sem sombra de dúvida, um ponto de referência para viagens futuras. A todos os que pensam (re)visitar Madrid, por favor, vão petiscar ao El Chato — prometo que não vão querer sair de lá!




Este dia foi, sem dúvida, o reflexo de um passeio gastronómico de dois apaixonados (pela comida) que têm sempre tanto para experimentar, tanto para descobrir, tanto para partilhar...E por isso esperamos que este post vos tenha aberto o apetite e vos tenha dado (ainda mais) razões para (re)visitarem Madrid. O quarto dia na cidade foi igualmente emocionante e nós estamos ansiosos por partilhar convosco. Fiquem desse lado!

1 comentário

  1. Já fui a Madrid mas agora fiquei cheia de vontade de lá voltar só para visitar estes espaços fabulosos onde a comida também parece ser igualmente fabulosa.

    ResponderEliminar