Social icons

marvão

06 dezembro 2015

E um fim-de-semana em família. Daqueles sem pressa, que nos fazem perder pelas estradas nacionais fora, que nos fazem perder pelo nosso querido Alentejo, que nos fazem perder de amor pelo nosso país. Foi no fim-de-semana passado que rumámos até Marvão. A partilha de hoje é uma partilha despretensiosa, feita com calma e já alguma saudade daqueles dias lindos de sol, com muito frio, muitas mantas e um bom copo de vinho.




O fim-de-semana passado começou de forma serena, com um pequeno-almoço demorado e um piquenique caprichado, já fora de Lisboa. Gostamos muito de aproveitar os dias frios de sol, com que somos brindados no inverno. Adoro estas manhãs de Dezembro, que vamos ao encontro do aconchego através de camadas de malhas e abraçamos os raios de sol para nos aquecer — de alma e coração.





Marvão não era novidade para nós. Havíamos passado um fim-de-semana por lá, há já muitos anos. Mas não nos importámos nada de voltar. Aliás, gostamos sempre de voltar aos sítios onde fomos felizes e este era um deles. 





Situada no Alto Alentejo, no topo da Serra do Sapoio, Marvão é uma vila pequena e muito típica. Apesar de a sua população ser reduzida e ter vindo a diminuir (drasticamente) ao longo dos últimos anos, é um local muito apreciado por turistas, especialmente pelos nuestros hermanos — dada à sua proximidade com Espanha.
 




À semelhança de Monsaraz — que continua a deter o monopólio do meu amor eterno por terras Além Tejo — também Marvão se situa dentro das muralhas de um castelo, o que lhe dá todo um encanto especial, quase medieval, desafiando-nos a estar atentos a todos os pormenores. O recorte da vila e das muralhas do castelo é algo que sempre me fascina e neste fim-de-semana, em particular, tivemos muita sorte com o tempo. Estava uma luz linda!


 


Uma escapadinha de fim-de-semana até Marvão quer dizer, inevitavelmente, descanso. Ar puro, paisagens sem fim, comida deliciosa e um bom copo de vinho alentejano. É esta a receita para uns dias tranquilos, longe da cidade, das suas rotinas, das tarefas e afazeres que nos consomem.




Aqui o tempo (quase que) pára. Aqui o ar respira-se de outra forma. Não se ouvem carros, apenas os pássaros que desafiam o vento que sopra nas folhas das árvores. Ouve-se o crepitar da lenha na lareira. Sente-se aquele cheiro precioso que sai das chaminés da vila. Cheira a enchidos, a queijo, a assados. Ouve-se a natureza, nas suas variadas formas. O gato cumprimenta-no, à janela. Quem passa por nós também o faz, nem que seja um aceno sincero ou um sorriso. 





Embora pequena, esta vila tem muito para nos dar a conhecer e oferecer. Para além de podermos visitar a fortificação, ainda existem vários pontos de interesse como igrejas, casas de artesanato, museus e várias actividades, como passeios pedestres ou a cavalo, por exemplo.



Além disso, foram feitas novas infra-estruturas como este café lounge, muito agradável e simpático — que antigamente não havia.

 

Não me lembro de ter subido até à torre do Castelo, da outra vez que visitámos Marvão, mas foi um dos passeios que mais prazer me deu. Poder admirar a vista da serra neste ponto é de tirar o fôlego e o inverno generoso brindou-nos com umas paisagens verdejantes, salpicadas de amarelo, muito bonitas.




Da primeira vez ficámos na Casa D. Dinis — que agora foi toda renovada — mas agora ficámos nas Varandas do Alentejo, que também pertencem ao mesmo dono. Foi uma estadia agradável, rural (como seria expectável) e muito familiar. Jantámos no restaurante do hotel, onde a comida era muito be confeccionada e saborosa, satisfazendo todas as nossas vontades por petiscos alentejanos.
 
 



 

Confesso que foi a primeira vez, em muito tempo, que não ficamos na mesma casa em Monsaraz por esta altura. Vocês sabem como eu gosto de manter as tradições e, para mim, esta é uma das mais antigas. Mas também estaria a mentir se não vos dissesse que adorei voltar a Marvão e que, por vezes, também é bom variar. E vocês, conhecem esta vila? Qual o vosso destino para a melhor escapadinha de fim-de-semana? Partilhem tudo!

6 comentários

  1. Perco-me sempre pelas tuas fotografias - que bonitas e inspiradoras!

    Beijinho, Sara :) *

    ResponderEliminar
  2. Que excelentes fotografias. Não podia deixar de o dizer. Excelente!

    ResponderEliminar
  3. O Vale do Gaio, em Alcácer, tenho a certeza absoluta que ias adorar e fotografar tudo (como eu fiz :))

    beijinho

    ResponderEliminar
  4. A foto tirada na Mercearia de Marvão ficou linda no meio de tantas outras:)

    ResponderEliminar
  5. que post querido ♥ e tanta beleza nessas fotografias que dá até um quentinho no coração. fiquei querendo conhecer e passar dias tranquilo por aí também. e sol de inverno, tão bom né? ♥

    ResponderEliminar
  6. O que eu queria mesmo saber é de onde é o casaco bege.. ando louca atrás de um..

    ResponderEliminar