Social icons

OH, PARIS #7

05 outubro 2015

O adeus derradeiro a Paris. Ou não. Afinal, queremos tanto voltar em breve! Para já, partilhamos convosco um pequeno apanhado daquilo que nos parece mais relevante ser partilhado. Dicas sobre o voo, o hotel, os transportes, o metro e algumas das atracções a visitar, tudo muito bem preparado com base na nossa experiência e em primeira mão.


Voo | não aconselho a voarem com Ryanair. O aeroporto de Beauvais fica muito longe e não vos compensa a chatice. Apesar de o shuttle não ser caro (34€ ida/volta até Paris), o último parte às 19h e é raro encontrarem voos ao final do dia. Nós, por exemplo, voltámos no 5º dia de viagem, às 10h da manhã, mas como o aeroporto está fechado das 23h às 6h tivemos mesmo que reservar (à última da hora) um pequeno quarto ali nas redondezas. Uma despesa extra que nos salvou de uma hipotermia certa. Além do mais, o aeroporto é minúsculo e muito (muito!) confuso. Gastem um pouco mais e voem para Orly ou Charle de Gaulle.


Hotel | vejam a vossa disponibilidade financeira e analisem a vossa situação particular. Se não se importam de partilhar casa de banho e quarto, um hostel será seguramente a escolha mais em conta. Se preferem a oportunidade de viver como um local, optem pelo AirBnb, pois poderão dormir num apartamento tipicamente parisiense e dá-vos a opção de comprarem comida e de cozinharem em casa. Por outro lado, se preferem o comodismo e conforto de um hotel, por experiência própria, aconselho a cadeia Mercure. Tem mais de 200 hotéis espalhados pela cidade e há sempre alguma promoção online.


Transportes | se vão com tempo, não há nada melhor do que ver a cidade a pé. Hoje em dia até têm a opção de alugar bicicleta — mas como nós não o fizemos, não vos sei precisar valores. Os táxis são caríssimos e os taxistas por lá não têm fama de serem os mais honestos. Andámos de táxi na última noite, do aeroporto para a pensãozinha e da pensãozinha para o aeroporto, no dia seguinte. Pagámos 25€ por 4km o que é um verdadeiro abuso. E, apesar de simpáticos, os taxistas não falam inglês, de todo.


Metro | o metro em Paris não é muito caro (é semelhante ao de Lisboa) mas é muito confuso e difícil de ser perceber. Ao contrário do de Londres, o metro de Paris é um autêntico caos (des)organizado. Foi-nos muito difícil orientar por lá e só ao fim do segundo dia é que começámos a dominar a técnica. Nas bilheteiras também não nos souberam explicar em inglês e nós pouco ou nada dominávamos o francês. 
Acabámos por comprar o passe de 5 dias para 5 zonas (queríamos que abrangesse a Disney e Versalhes) que nos custou 62€. Percebemos agora que foi uma estupidez; bastava-nos o de 3 dias (50€). Só íamos estar na cidade 4 dias, sendo que o primeiro foi todo feito a andar a pé. Ainda assim, a opção dos passes é uma mais valia pois permite-vos andar em toda a rede de transportes. Podem ver os preços aqui

Menos de 25 anos | é de aproveitar. Se têm menos de 25 anos podem visitar vários museus sem pagar entrada, como é o caso do Museu do Louvre, Museu d'Orsay ou Palácio de Versalhes. Nestes casos, por favor, não percam horas em filas. Sigam directamente para a entrada e apresentem o cartão de cidadão. Menores de 25 têm ainda vários descontos, como na Torre Eiffel*, por exemplo.


*Torrei Eiffel | falo-vos de experiência: não guardem a visita para o final do dia/noite, sobretudo se tiverem andado horrores de muito antes. A fila vai continuar enorme e vocês vão perder a paciência. Por experiência de quem já subiu duas vezes, em circunstâncias diferentes, acho que não vale a pena pagarem o bilhete até ao topo. Porquê? Para além de ser mais caro, a juntar às 2h de fila lá em baixo, vão ter ainda mais meia hora de espera para entrar no elevador que vos leva ao topo. Além do mais, vão chegar lá a cima e vão-se deparar com imensos turistas amontoados junto à vedação, o que vos irá impedir de ver seja o que for. Pelo menos connosco foi assim: perdemos mais de 2h30 para chegar ao topo da Torre Eiffel, estar lá em cima 2 minutos, descer pelas escadas até ao segundo piso e aí sim [...] admirar a cidade. Que é bela vista de cima, isso é certo. 

Dica: comprem os vossos bilhetes online, com antecedência, que assim poupam a fila das bilheteiras. Se já tiverem subido à Torre Eiffel, não o façam outra vez; aproveitem os 15€ para fazer um passeio de barco no Sena (fizemos na nossa primeira viagem) que vale muito a pena. Observam a cidade de um ângulo fora do habitual e isso é lindo. Além do mais, não cansam as pernas e podem aproveitar muito mais o dia.


Comer&Beber | não é barato comer em Paris. Nos bistrots junto ao Sena, nas zonas mais turísticas da cidade, chegam a pedir 6€ por uma coca-cola ou ainda 8€ por uma garrafa de 1,5l de água. Levem sempre garrafas de água e algum snack convosco para visitar a cidade. Compensa imenso fazer esse tipo de compra nos supermercados ou mini mercados e vai ser o vosso salva-vidas. Têm, contudo, várias sugestões de sítios onde podem comer bem e por um preço simpático, como é o caso do Frenchie to Go ou da pizzaria Cantina di Luca.

E chegamos ao fim desta série de partilhas sobre a nossa viagem a Paris. Foi uma aventura inesquecível e não poderíamos estar mais contentes por partilhar convosco todos os #littletinypiecesofparis. Não deixem de espreitar o nosso primeiro dia, o almoço no Frenchie to Go, o passeio por Versalhes, o jantar na Avenue George V, os dois dias na Disneyland Paris e o post sobre o nosso hotel. Esperamos (muito) que tenham gostado (muito) que estas partilhas vos tenham sido úteis. Se tiverem alguma dúvida, por favor, não hesitem em deixar um comentário aqui em baixo.

Un bisou...

6 comentários

  1. Belas dicas, Sara, muito obrigada!
    Visitar Paris está nos meus planos para breve, por isso vou com certeza revisitar este teu post antes de começar a planear a viagem! :D

    Joan of July

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que coisa boa Catarina; saber que gostaste das dicas e que te irão ser úteis porque vais a Paris :) um beijinho grande e qualquer coisa não hesites em contactar!

      Eliminar
  2. Conheci o blog através de uma amiga e veio mesmo na hora certa ! Vou passar uns dia a Paris, com partida ainda esta semana, e como nunca fui, as dicas foram muito úteis, principalmente saber que não tenho que esperar nas filas se tiver 25 anos :)

    Mesmo assim esta situação dos menores de 25 anos deixa-me um bocado confusa. Para não pagar entrada é preciso ter menos de 25, ou seja até aos 24? Ou é 25 inclusive?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que querida Inês, fico muito contente em saber :) Em resposta à tua pergunta, até aos 25, inclusive e em Versalhes é até aos 26! :)

      Um beijinho grande e mais alguma dúvida não hesites em perguntar, oui?

      Eliminar