Social icons

OH, PARIS #6

04 outubro 2015

O Hotel, as dicas e sugestões. Hoje é o último artigo, ainda que dividido em dois, que publicamos relativo à nossa viagem a Paris. Houve quem nos acompanhasse em directo, através do instagram e das tags #ouinousallonsaparis ou #littletinypiecesofparis. Houve quem nos acompanhasse através do blog, onde publicámos o primeiro dia, o almoço no Frenchie to Go, o passeio por Versalhes, o jantar na Cantina di Luca e os dois dias na Disneyland Paris. E houve ainda que nos colocasse algumas questões através do nosso email. Nesse sentido, com este último post, pretendemos responder a algumas perguntas, mostrar-vos em que hotel ficámos, como nos deslocámos e partilhar muitas dicas&sugestões.

Antes de mais, é importante falar-vos um pouco do hotel que foi a nossa casa durante 4 dias. Sei que esta é, possivelmente, a decisão mais complicada de tomar, quando planeamos uma viagem. É importante partilhar as nossas experiências e neste caso só tenho a dizer coisas boas.


Como já havíamos referido aqui, à semelhança da viagem a Londres, também para a viagem a Paris estava complicado encontrar uma solução que nos enchesse as medidas. Ora vejamos: precisámos de um sítio que não ficasse muito distante do terminal do shuttle do aeroporto, que estivesse perto de uma estação de metro, que tivesse casa de banho privativa (é uma necessidade para nós, pardon), de preferência com pequeno-almoço incluído e não ultrapassasse muito o nosso budget.

Pesquisámos no AirBnb (tem sempre os apartamentos mais bonitos, como podem ver na minha wishlist aqui) mas tinha a desvantagem de não ter pequeno-almoço incluído e (pior!) não ter recepção 24h. Saberíamos que viria a ser importante. Continuámos a pesquisa no Booking e, em última análise, em sites como Trivago e Logitravel. Foi neste último que, por mero acaso, conseguimos encontrar um hotel à nossa medida.

 

Na altura da nossa pesquisa, já exaustiva e no limite, encontrámos uma promoção fantástica: quatro pessoas, dois quartos, pequeno-almoço incluído, tudo por 480€. Tendo em conta que não encontrámos mais barato (40€ por pessoa/por noite) já com a refeição da manhã incluída, pareceu-nos uma excelente opção.

Uma das das dicas que vos podemos dar é consultar sempre o Tripadvisor. Acaba por ser muito importante ver um hotel através do olhar do utilizador, que por vezes não coincide com a "realidade" do marketing do hotel. Por exemplo, tínhamos ficado apaixonados por um tal de Bristol Hotel, relativamente perto deste que escolhemos e do mesmo preço (mas sem pequeno-almoço!). Quando vimos as fotografias recentes, partilhadas pelos visitantes do Tripadvisor, tirámo-lo logo da lista. Colchões manchados e bolor na parede não são os melhores incentivos a reservar aquele hotel.


Acabámos por ficar no Mercure Hotel Gare du Nord Lafayette. Ficámos, a início um pouco apreensivos com o preço pago à Logitravel. Afinal, se a compra tivesse sido feita no site do hotel, teríamos pago por noite aquilo que pagámos pelas três; já para não falar que o pequeno-almoço custava 16€ por pessoa/por noite. Por isso, tendo receio de alguma coisa não estivesse a bater certo, enviei logo um email directamente para o hotel para confirmar se teriam recebido a nossa reserva. Responderam-me de imediato e aproveitei a deixa para garantir que poderíamos usar a sala de bagagens no último dia. Responderam-me no minuto a seguir e tranquilizaram-me, dizendo que sim. Foram super simpáticos e adorei a disponibilidade e rapidez de resposta.


Depois de feita a reserva, alguém nos alertou para a zona do hotel; disseram-nos que a Gare du Nord era uma zona complicada e nada aconselhável. Ficámos apreensivos mas resolvemos que não iríamos mudar a nossa decisão. Afinal, o truque é andar em grupo, sem dar nas vistas e agir com naturalidade. Não nos poderia acontecer nada, a menos que fossemos displicentes.

Quando chegámos lá percebemos que não estávamos propriamente na Rue Saint-Louis-en-l'Île mas a Rue de Lafayette, mesmo na zona de Gare du Nord, era muito bonita. Afinal, tínhamos acabado de chegar a Paris e Paris...é Paris


O Hotel ficava a 3 minutos (a pé) da estação Gare du Nord e a 1 minuto (a pé) da saída de metro Magenta. Acabou por ser a nossa estação de acesso a toda a cidade e pontos de interesse. 

Em relação à Gare du Nord o que vos podemos dizer? É uma estação enorme, onde cruzam imensas linhas de metro e RER, pelo que pode ser confuso de nos orientarmos nas primeiras vezes. É um acesso fácil a qualquer ponto da cidade. É uma estação muito movimentada e vemos pessoas de todo o mundo e todas as origens. Não é aconselhável andar a vaguear à noite, sobretudo raparigas sozinhas (mas, lá está, penso que o bom senso deve ser aplicado em qualquer parte do mundo, e não apenas na Gare du Nord). A estação tem uma esquadra de polícia e, no geral, à noite toda a rede de metro está policiada. 

Não houve nenhum problema; andámos sempre os quatro juntos e evitávamos levar máquinas ao peito ou outros objectos que pudessem chamar a atenção. Afinal, no meio de tanta gente, seria fácil alguém conseguir levar alguma coisa. Mas não aconteceu nada e correu tudo bem. Não tenho qualquer aspecto negativo a apontar e não me arrependo de ter feito a reserva naquele hotel. Pelo contrário.


Voltando ao Hotel Mercure Gare du Nord Lafayette. Chegámos ao hotel e fomos recebidos com muita hospitalidade. A maioria dos funcionários falava fluentemente inglês e confirmaram-nos a reserva. Informaram-nos apenas que teríamos que pagar uma taxa (transversal a quase todos os hotéis da cidade) e nós já estávamos informados disso. Depois de regularizar a situação fomos para os quartos.


Os quartos. Um deles ficava virado para a rua principal e o outro era voltado para as traseiras, no mesmo piso. Ambos tinham uma ampla janela e uma vista linda. Num lado a cobertura da estação, do outro os prédios baixinhos, com a sua imagem tão parisiense.


Eram quartos pequenos mas com o espaço necessário para acomodar confortavelmente duas pessoas. Ambos tinham casa de banho privativa e estavam providos de toalhasprodutos de higiene (sabonete, champô e gel de banho) e secador. Ofereciam ainda água, chá e café. Tinham um cofre e mini-bar. As camas eram super confortáveis e aquelas almofadas (...) eram as melhores!


decoração do hotel, no geral, era moderna, clean e descontraída. Tinha uma boa iluminação e jogava com os pontos de luz de forma divertida e dinâmica. Era um hotel jovem e isso fazia-nos sentir em casa.

(instagram @saracabido)

O pequeno-almoço. A sala do pequeno-almoço também ficava voltada para a rua estreitinha das traseiras e era muito confortável, bem iluminada e sossegada. E o pequeno-almoço foi mesmo o melhor da estadia. Já é sabido por aqui que eu adoro (de paixão) pequenos-almoços de hotel. E este poderia ser a representação perfeita do meu pequeno-almoço ideal. Tinha tudo!


Tinha cereais vários e compotas deliciosas. E tinha Nutella! Tinha bacon, ovos mexidos, ovos cozidos e salsichas pequeninas deliciosas. Tinha até mostarda em grão, vejam só! E tinha panquecas e maple syrup.


Tinha carnes fumadas e queijos bons. Tinha fruta e sumos naturais. Tinha iogurte natural, polpa de morango e aveia. Tinha água fresca, natural, com gás. Tinha chá gelado e leite frio. Tinha café, café mocca, cappuccino, chocolate quente e outras especialidades de bebidas quentes.


Difícil mesmo era escolher o que comer, já que a barriga não dava para tanto. Valeram-nos as três manhãs de estadia, que deu para provar um bocadinho de tudo. Este foi, talvez, um dos pequenos-almoços mais variados e completos que tive a oportunidade de experimentar. A minha parte favorita da sala era mesmo o recanto do pão; muita variedade e depois as especialidades eram uma delícia: croissant, baguettepain au chocolat. Provámos de tudo e hoje suspiro por um pequeno-almoço assim.


Esta é a primeira parte do nosso apanhado de dicas&sugestões. Acho mesmo importante partilhar este tipo de experiências, em primeira mão, pois pode ser que vos seja útil no futuro. Se tivesse que recomendar um hotel não hesitaria em vos indicar este. Adorámos a estadia e correu tudo na perfeição. Penso que a cadeia Mercure seja sempre uma boa opção, já que conta com mais de 200 hotéis na cidade. 

Amanhã (que é como quem diz: daqui a pouco) sai a segunda parte do artigo, com algumas dicas e sugestões genéricas para quem vai viajar para Paris.

Un bisou...

3 comentários

  1. Que maravilhosa opção de hotel Sarinha! Adorei as fotos do pequeno-almoço! Que farto que era e cheio de boas opções de escolha! Se calhar de outra vez que vá à Paris, fique em algo mais assim fofinho e bem organizado.
    Beijinhos! Espero que a tua experiência tenha sido fantástica. A minha teve boas e más escolhas, como tudo nesta vida não é? Parabéns! Saudades de ti!

    ResponderEliminar
  2. Adoro, de paixão, os teus relatos e as tuas fotografias.

    ResponderEliminar