Social icons

Tavira

19 setembro 2015

E a praia da Terra Estreita. [...] e todos os outros encantos desta terra. Este ano as partilhas dos dias em Tavira têm tanto de singelas como de belas. São pormenores triviais, destes dias de férias, de sol, de calor, de amor. Já partilhámos os cantos e recantos, cheios de encantos, da zona da ria. Já vos mostrámos um sítio giríssimo para jantar ou para um after dinner e já vos levámos a passear pelo mercado. Hoje terminamos o relato destas férias a dois com uma ida à nossa praia favorita. Afinal de contas, hoje o sábado é solarengo e convida a lembrança do verão — que ainda não acabou!


À semelhança do ano passado, ou do outro anterior, a praia da Terra Estreita é ponto de paragem obrigatório. Uma praia tranquila, com água cristalina e uma paisagem de tirar o fôlego. Parece mesmo um pequeno paraíso, um refúgio na (também) agitada vida algarvia — pelo menos durante o mês de Agosto.


Já é como se de um ritual se tratasse; apanhar o barco, de manhã cedo, seguirmos no embalo das ondas, chegar à passadeira de madeira e respirar fundo. Admirar aquela beleza única, que só veremos novamente um ano mais tarde — suspirar. Pousar as coisas no areal, dar as mãos e ir dar um mergulho naquela água quente. É mágico.


Este ano, também partilhámos este segredo com os amigos e, talvez por isso, as fotografias tenham sido mais escassas, na ânsia de aproveitar todos os momentos com eles. Começo agora a aprender a desligar-me (um pouquinho mais) da máquina e a aproveitar, realmente, o agora. Contudo, é impossível não querer registar os mil tons de azul, as texturas, a calma desta praia.


Ter que dizer adeus. Custa sempre. Apanhar o barco de regresso com a consciência de que só para o ano é que voltaremos. Assalta-nos uma nostalgia melancólica — mas doce — de querer voltar quando ainda nem partimos. É a noção das saudades imensas que vamos ter, contando os meses, as semanas e os dias até voltarmos a Tavira.


Por isso, serve este relato visual para nos despedirmos com um até já. Afinal, as saudades tornam-se mais leves quando olhamos para as memórias impressas nestas (e noutras) fotografias. Voltaremos, é uma promessa.


Não deixem de espreitar o primeiro, o segundo e o terceiro relato desta pequena reportagem fotográfica. E partilhem connosco, nos comentários, se conhecem Tavira, ou se gostavam de conhecer e digam-nos qual é a cidade que vos faz tremer de saudade. 

Tenham um bom sábado, com gostinho (ainda) a verão.

2 comentários

  1. Vi e li todos os relatos desta tua aventura, e eu que moro tão perto de Tavira nunca me apercebi o quanto bonita é. As tuas fotos são maravilhosas! :D

    ResponderEliminar