Social icons

Tavira

17 setembro 2015

E as saudades desta terra. O verão de 2015 marcou o terceiro ano em Tavira, com ele. E é sempre tão bom, tão gostoso, tão especial. Na verdade, como já por aqui havia referido, o encanto desta terra fascina-me e criei uma tradição, desde o primeiro verão. Voltar aos sítios onde fomos felizes é sempre uma viagem que me traz calma, me apazigua a alma. E Tavira tem esse encanto. Gosto sempre de voltar aos mesmos sítios. E não me importo!


Tinha saudades — e sei que vou ter muitas mais — destes pequenos-almoços na varanda, da brisa ténue das manhãs de Agosto, do cheiro a maresia, do cantar das gaivotas. Saudades deste sumo de laranja que é tão especial quanto delicioso. São as melhores laranjas de sempre, aquelas que compramos no mercado. Ou então apenas assim me parecem, simplesmente porque estou lá, com ele.


Tinha saudades dos mil tons de azul. Do céu limpo, do mar cristalino, da ribeira. Saudades das silhuetas da cidade, contra os vários azuis do verão. Tinha saudades do calor, do cheiro a flor.


Tinha saudades dos passeios com ele, de mãos dadas. Até tinha saudades de o ouvir resmungar: "mas já fotografaste isso antes" ou ainda "tens milhares de fotografias desse pormenor". O que ele não sabe (ou no fundo até sabe) é que o prazer nostálgico de estar em Tavira, outra vez, me faz querer aproveitar todos os pequenos detalhes.


As saudades daquelas tasquinhas — e entendam a expressão como sendo um carinho (embora sejam mesmo tasquinhas!) — e daquele peixe fresco, daquele marisco soberbo, daquele jeito sem jeito que só ali sabe bem. Tinha mesmo muitas saudades destas refeições a dois, onde sabemos que aquilo que comemos vem da terra, é bom, é saudável. E só se encontra aqui.


Em Tavira respira-se uma outra calma, que o Algarve, em geral, não tem. São apenas quatro dias, os que passo com ele em Tavira. Mas sabem-me a ouro. São tudo. E sei que passo um ano inteiro a suspirar por esta cidade.


Este ano quisemos partilhar algumas das nossas tradições com alguns dos nossos amigos mais queridos. Por isso — e porque ando a conseguir desligar-me um pouquinho mais da máquina e das tecnologias, quando estou entre eles (embora não por completo, óbvio!) — este ano não trouxe muitos registos de Ayamonte. Mas os que vieram, chegam-nos cheios de alma, de amizade, de cumplicidade. E com isto digo: um brinde à amizade.


E depois, como ir a Tavira e não nos deixarmos perder pela baixa antiga? As casas não mudam, a ponte também não. Quase que ia jurar que os barcos eram os mesmos de sempre. Mas têm um gostinho especial, as tardes passadas naquela geladaria junto à ria. Colocar a conversa em dia — porque temos sempre tanto que falar! E parar um bocadinho, para observar.


Observar os pequenos detalhes, os pormenores singulares. As casas, as pessoas que passam, os amores deixados ali que permanecem numa (in)certeza do para sempre, as sombras e os reflexos da cidade.


Tinha saudade daqueles finais de tarde. Dos tons únicos, que a máquina não consegue captar, do som do mar. E das gaivotas, que parecem levantar voo numa dança sincronizada, um tanto ou quanto desengonçada. Mas faz tudo parte do encanto daquela terra.


Tinha saudades. E sei que vou ter muitas até ao próximo verão. Consola-me apenas saber que o Natal está pelo meio. E isso é o que me dá ânimo para continuar a esperar. Esperar pelo próximo verão — que é a melhor estação — esperar por voltar a Tavira, tornar aos sítios de sempre e fotografar, outra vez, aquele pormenor. 

Esta foi a primeira partilha desta série de memórias de verão. Enquanto todos retomamos o trabalho, sabe bem lembrar como foram boas as férias, não sabe? Mais logo trazemos uma sugestão de jantar, também em Tavira.

7 comentários

  1. Nunca fui a Tavira mas tenho-a na lista! Tasquinhas, o que há pra não gostar delas? E o que falas sobre fotografar as mesmas coisas várias vezes é tão verdade, nem é o facto de ter outro registo, muitas vezes é recordar um sentimento associado a isso :)

    ResponderEliminar
  2. As fotografias estão lindas (especialmente essa última!) e o texto acompanha na perfeição :) Vê-se que é um sítio pelo qual tens mesmo um carinho enorme!

    | INDIGO LIGHTS

    ResponderEliminar
  3. Adorei! Nunca fui a Tavira mas esta definitivamente na minha lista. Obrigada por partilhares estas fotografias tao lindas!

    VIE Diaries, lifestyle blog

    follow me on bloglovin' let me know & I will follow back! :)

    ResponderEliminar
  4. Nunca visitei Tavira, mas com estas fotografias maravilhosas estás mesmo a pedir que visite :))

    Love,
    sweetcamomile.blogspot.pt .

    ResponderEliminar
  5. Vivo em Tavira há 12 anos (os últimos dois entre Tavira e Lisboa) e gostei muita desta tua publicação. Ainda há umas horas vim de lá e já tenho saudades outra vez.

    ResponderEliminar
  6. Que lindo! Tenho que conhecer Tavira ;)

    ResponderEliminar