Social icons

viemos de londres

12 março 2015

Viemos de Londres. E trouxemos connosco um coração cheio de saudades e uma mão cheia de curiosidades. A partilha de hoje é a última (e derradeira) sobre a nossa primeira vez em Londres. E porque as primeiras vezes são sempre novidade, deixam sempre marca e são sempre pautadas por situações inesperadas, não nos podíamos despedir desta cidade (que nos fez apaixonar, um pouco mais, por tudo) sem antes falarmos um pouquinho sobre a nossa estadia, o nosso hotel, sobre Paddington e sobre todos aqueles pormenores que nos marcaram.

Não sei se estarão lembrados, mas contei-vos aqui a odisseia que foi descobrir um hotel que preenchesse os nossos requisitos. Para mim, esta foi a tarefa mais complicada no processo de planeamento da viagem.


Assim que soubemos onde era o ponto de chegada do shuttle do aeroporto (em Baker Street), resolvemos pesquisar na zona quais as melhores opções. Queríamos andar o menos possível com as malas e mochilas às costas, para poupar energias e tempo. Assim foi. Começámos a listar na zona as melhores opções dentro dos nossos parâmetros. Nossos porque acredito que as necessidades de cada um diferem e aquilo que nos parece essencial num hotel pode parecer supérfluo e desnecessário a outros.

Ainda assim, fica aqui o nosso raciocínio: queríamos um hotel perto do ponto de chegada, não muito longe do centro da cidade, que tivesse perto de uma estação de metro, que nos oferecesse um quarto com casa de banho privativa. Estas eram as únicas imposições. Se tivesse pequeno-almoço incluído e wi-fi, melhor ainda! Ah, claro que não poderia exceder o plafon de 100€/noite, que foi aquilo a que nos propusemos pagar.

Depois de muito desesperar (ou porque a diária era cara demais, ou porque o hotel ficava longe do centro, ou porque a decoração dos quartos era pavorosa) e depois de muito explorar (no Airbnb, no TripAdviser, no Housetrip...) conseguimos encontrar, no Booking, um pequeno hotel em PaddingtonTudor Court Hotel, na Norfolk Square. Encontramos algumas referências da zona aqui e ficámos de imediato apaixonados.


Tudor Court Hotel é um pequeno hotel, edificado numa casa georgiana, localizado numa praça lindíssima, florida, ornamentada com árvores imponentes. O que nos agradou neste hotel? Para começar foi a localização (a 1 minuto da estação de Paddington, a 5 minutos a pé do Hyde Park e a 2 paragens de metro de Baker Street). Depois foram as comodidades (para além de ter casa de banho privativa, tinha ainda o english breakfast incluído e internet gratuita em todo o hotel). Além do mais, a decoração deste hotel era [...] bastante aceitável. Normal, diria. E por fim foi o preço que nos fez reservar de imediato (£216/3 noites, ou seja, 305€ por três noites, cerca de 50€/pessoa/noite — dentro do plafon).


A verdade é que tínhamos conseguido poupar um pouquinho mais, se tivéssemos escolhido outro hotel. Mas outro hotel não teria casa de banho privada, não teria pequeno almoço, nem internet. Se calhar nem teria TV (sim, divertiu-nos imenso acordar com os programas britânicos!) ou então nem teria janela (e sim, já li que em hotéis como o EasyHotel, os quartos mais baratos nem janelas têm). Ficámos num quarto duplo compacto, a opção mais económica. Mas não senti que o quarto fosse minúsculo, pelo contrário: tinha espaço suficiente para as nossas arrumações e era bastante arejado. 

Só havia uma coisa que nos atormentava, antes de lá chegarmos: sabíamos de antemão (através de reviews no booking e tripadvisor) que o hotel tinha 4 andares e não tinha elevador. É uma casa antiga, compreende-se. Ainda assim, estávamos muito receosos de ficar no último andar. Só de imaginar o ter que subir 4 lances de escadas depois de muitos quilómetros percorridos assustava-nos.


Chegámos a Paddington antes da hora prevista. O primeiro impacto? A Norfolk Square é tão bonita...ainda por cima estava um dia lindo de sol! Percebemos também que, nessa zona, quase todas as casinhas bonitas são pequenos hotéis, à semelhança do nosso. Ainda assim, os preços e condições pouco devem variar e a nossa escolha pareceu-nos, de longe, a melhor. Era agora meio dia e estávamos já na recepção a fazer o check in

Quando entrámos tivemos vontade de rir. Percebemos também que a gerência do hotel devia pertencer a uma família indiana, bem ao estilo do Exótico Marigold Hotel, pela decoração da entrada (com coroas de flores, padrões Hindus e um quadro de um Guru indiano). Valha-nos isso: era toda uma onda de paz e amor. Só esperava que não tivesse a imagem do dito Guru (?) pendurada em frente à cama! 

O recepcionista (que não era muito simpático, diga-se) pediu-nos a confirmação do cartão de crédito. Problema: nós não temos cartão de crédito. Fizemos o pagamento através de um MBnet (um cartão virtual) e não tínhamos nenhuma prova física (uma vez que, por segurança, o cartão virtual é extinto depois da utilização). Ainda bem que o Miguel tinha os comprovativos todos no email dele e assim pudemos comprovar que tínhamos sido nós, efectivamente, a fazer a reserva. Depois desse entrave, o senhor ficou-nos com as malas (o check in era só depois das 13h) e fomos almoçar ao San Marco Ristorante, que já vos falei aqui no primeiro post.

Em relação à nossa estadia só posso dizer maravilhas. Certamente tivemos muita sorte. Sorte com o tempo, que esteve quase sempre ameno e solarengo. Sorte com o preço do quarto, visto termos apanhado uma boa promoção do site. E sorte com o quarto, que acabou por ser no piso térreo, junto à recepção, bem pertinho da sala de pequeno-almoço. Maravilha, chegar à noite e não ter que subir mais escadas! Fomos uns sortudos, valha-nos isso. 


O quarto era bastante pacato e simples. A cama era muito confortável e tínhamos muito espaço de arrumação (um armário à entrada, bem como uma estante que serviu para colocar a minha necessaire e todos os meus apetrechos). A casa de banho era muito pequenina. Como a casa não foi desenhada para ser um hotel, calculei que eles tivessem aproveitado todas as divisões possíveis e tivessem inserido um sistema de banho dentro do próprio quarto. Assim foi. A casa de banho era um pequeno anexo, dentro do quarto. Mas tinha paredes e porta (nas minhas pesquisas tinha visto muitas casas em Londres com a casa de banho aberta no quarto — big no, no), um poliban e uma sanita, um lavatório pequenino e um espelho generoso com boa iluminação. Era até muito acolhedora e o facto de ser pequenina até facilitava.


No quarto tínhamos ainda aquecimento (tão quente...ia morrendo na primeira noite, tivemos que o desligar), televisão (sei de hotéis em que, se quisermos o comando para ligar a TV, teríamos que pagar uma taxa de 5£, imaginem, por noite), internet grátis (durante toda a estadia), secador de cabelo, a regalia de chá e leite (bem ao gosto inglês, mas que nós não fizemos proveito) e ainda toalhas, sabonetes e shampoos (repostos diariamente).


pequeno almoço era servido das 7h30 até às 9h. Não era buffet, mas podíamos comer o que bem nos apetecesse. Compreende-se também que, num hotel pequeno, não haja justificação para ter uma mesa buffet sempre preparada. Assim até era melhor: o nosso pequeno almoço era preparado na hora e chegava-nos deliciosamente britânico à mesa. Tínhamos muito por onde escolher: café, chá, leite, sumo de laranja, ovos mexidos ou ovos estrelados, bacon frito, salsichas, feijões cozidos, torradinhas, com compota e manteiga e ainda muffin de chocolate ou de canela. Tudo que nos desse energia para o passeio! 


À noite, Paddington ganhava uma nova vida. Uma vida igualmente bonita de ser ver. As ruas iluminavam-se harmoniosamente e as pessoas passavam com ar simpático. Nunca tivemos medo ou receio de andar na rua à noite. Nunca. Aliás, não houve noite em que, antes de ir para o hotel, não parássemos no cafezinho da esquina, o Lite Bite, ou fossemos beber uma ale no pub mais giro de todos, mesmo em frente ao hotel, o Sawyers Arms. É incrível como aquelas pessoas vivem a noite. Fomos durante a semana e posso-vos dizer que às 22h os pubs ainda estão cheios de pessoas que conversam alegremente, brindam e bebem a sua cerveja. Cheios. Pareceram-nos muito felizes, os londrinos. E nós adorámos entrar nos espírito.


Paddington. Oh, Paddington! 

Paddington é um bairro muito característico da cidade. É conhecido pela sua enorme estação de metro e comboio, que liga Londres a todo o lado. Para os turistas, não podia ser uma zona melhor. A estação de metro cruza com quase todas as linhas principais e é num instante até chegarmos onde pretendemos. 

É conhecido também pelas suas casas com traça georgiana, praças públicas, jardins e parques. É uma zona bonita e arranjada, emoldurada com fachadas brancas, canteiros floridos. Tem uma série de cafezinhos agradáveis, pubs e restaurantes, desde os típicos ingleses até ao Burger King ou McDonalds. Tudo ali, à distância de 10 passos. 

Nunca pensámos que ficássemos tão bem localizados; a estação de metro estava, literalmente, a 1 minuto a pé. Em 5 minutos, sempre a direito, chegávamos ao Hyde Park. Duas estações de metro para um lado, tínhamos Baker Street. Duas estações de metro para o outro, chegávamos a Notting Hill Gate. Pouco mais de 15 minutos e estávamos em Victoria e Westminster. Ou seja, de Paddington íamos para todo o lado, sem nos preocuparmo-nos, sem perder muito tempo.


E agora, só para terminar, algumas curiosidades que desconhecíamos (e foram, por isso, para nós novidades). Assim em jeito de resumo:

#1 Para bebermos um café em condições (coisa difícil por aqueles lados) temos que pedir um short espresso ou então um italian espresso.
#2 A cerveja deles serve-se morna (pelo menos comparada com a nossa) e é muito menos alcoólica.
#3 Aquilo que melhor aprendemos a dizer em Londres é "Please, mind the gap between the train and the platform".
#4 Só conseguimos tropeçar em britânicos quando pedimos alguma informação (no metro ou aos senhores polícias); de resto há muito mais turistas e estrangeiros do que locais (pelo menos nas zonas turísticas, claro está).
#5 Londres é grande mas é muito fácil percorrê-la (a rede de metro deles é de outro mundo!)
#6 Na chinatown não há bancos. Acautelem-se!
#7 O musical The Lion King foi o dinheiro mais bem gasto da minha vida!
#8 Camden Town é muito(oooo) maior do que aquilo que imaginava.
#9 Em Londres também faz sol em fevereiro (ou então tivemos mesmo muita, muita sorte!).
#10 Quando voltar, vou ficar em Paddington outra vez, sem sombra de dúvida!

E temos mesmo que voltar. Tenho que voltar para visitar a Westminster Abbey, para ir ao pub mais antigo de Londres, para conhecer o Portobello Road Market, para ir ao mercado de Convent Garden, explorar a sugestões do Cereal Guided London. Enfim [...] temos que voltar! 

Não deixem de espreitar o nosso passeio por Londres:

Dia 1 The Natural History Museum, The Science Museum, V&A Museum e Harrods

Dia 2 Buckingham Palace, St. James Park, Houses of Parliament e Big Ben, Fish&Chips, London Eye, Tower of London e Chinatown

14 comentários

  1. Hey Sara! Adoro ler o teu blog por isso nomeei-te para um Liebster Award:

    http://heyrita.co.uk/2015/03/liebster-award

    Se responderes as perguntas, deixa um comentario com o link do teu post no meu blog sim? Adorava ler! :)

    Happy Thursday x

    Rita
    http://heyrita.co.uk

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão querida Rita! Vou responder com muito gostot!

      Eliminar
  2. haha Ainda bem que adoraram visitar Londres! Adorei principalmente o pormenor de 'tambem faz sol em fevereiro'. Claro que faz! Acredita que Londres nao e' tao chuvoso como fazem parecer, a precipitacao anual em Roma e' muito maior do que em Londres. O que acontece muito aqui e' durante o dia o tempo mudar completamente, e termos um pouco de tudo :) nuvens, sol, nuvens, sol! Ao menos nao da para aborrecer muito do tempo :P

    Rita
    http://heyrita.co.uk

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adorei, adorei e já morro de saudades! A ideia que eu tinha era que em Londres só chovia e que os britânicos não sorriam. Adorei descobrir que estava redondamente enganada!!

      Eliminar
  3. Gostei tanto de ver as fotos e ler sobre a vossa viagem. Tenho saudades de Londres e o post deu-me aquela nostalgia boa que me faz apetecer voltar o mais rápido possível. :)
    www.letirose.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh Catarine, como te compreendo. Sei que voltei "ontem" mas já tenho tantas saudades...é uma cidade encantadora!

      Eliminar
  4. Boas fotos!! :) Parece que tiveram mesmo sorte com o hotel! Valeu a pena a busca intensiva :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E tivemos, de facto. Gostamos muito da nossa estadia e, por isso, hei-de aconselhar sempre :)

      Eliminar
  5. Que fotos lindas! Parece ter sido fantástico! ;)

    Isa M., Tic Tac Living

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada minha querida :) foi, sem dúvida!

      Eliminar
  6. Bateu a saudade com essas fotos! <3 Das duas vezes que la estive foi através do airbnb e fiquei sempre em zonas super centrais, acho que muitas vezes vale bem a pena porque pode sair bastante mais barato do que um hotel, mas depende muito da cidade e da época em que se viaja!

    ResponderEliminar